Total de visualizações de página

Meus Anjos Seguidores!!

domingo, 1 de agosto de 2010

Escrava ou Submissa???



Sempre que inicio uma conversa com alguma pessoa praticante de SM, pergunto: "Você é escrava ou submissa?" Na maioria das vezes a pessoa se surpreende com a pergunta e me faz outra pergunta: "Existe diferença?"


Talvez você mesmo esteja agora se perguntando se existe essa diferença, e eu digo: Sim, existe! E as diferenças são bastante significativas.

Antes de apresentar as diferenças, quero deixar bastante claro que tanto o desejo de ser Submissa, ou Escrava, deve partir da pessoa Submissa ou Escrava, nada pode ser imposto: "BDSM sem amor é crime!"

Uma escrava é aquela que entrega toda sua vida ao seu Dono, vive para servi-lo. Quando se torna escravo, uma pessoa já não tem mais vontade própria, se torna objeto de seu Dono. O termo escravo vem mesmo da escravidão que conhecemos, onde os escravos são comercializados, e vivem nas senzalas (por favor, interpretem isso com os dias de hoje). Uma escrava não tem valor algum no coração de seu Dono, não passa mesmo de um objeto, comprado para servir, apenas isso. A perda de vida própria de uma Escrava é tão intensa, que a partir do momento em que uma Escrava assume esta posição, perde inclusive o direito de não querer mais servir. Isso mesmo, uma escrava não poderá nunca se negar a servir seu Dono. Geralmente escravas não podem nem falar, pois isso é visto como uma ofensa para seus Donos. Calma, não se assustem com essa descrição, muitas pessoas vivem isso, não julguem!



Por um outro lado, uma Submissa é o objeto de maior valor na vida de um Dom. Uma relação com uma Submissa deve ser conquistada, neste caso, a submissão é fruto de respeito, amor, busca por proteção, e admiração integral. Submissas tem limites, e podem impor estes ao seu Dom. Nem sempre uma submissa faz tudo o que seu Dom manda, mas SEMPRE faz o melhor para ele. Assim como as Escravas, é escolha de uma Submissa servir seu Dono, mas ela o faz por respeitá-lo, por sentir prazer em agradá-lo, não por obrigação. E uma Submissa pode a qualquer momento negar a submissão, por não estar satisfeita com seu Dono.

Um bom exemplo de Submissa/Escrava, mas essa não conquistada e sim imposta, está no livro A cidade do sol - Khaled Hosseini.

Assim como Escravas e Submissas, também existem diferenças entres os Mestres e Dominadores, mas estas, na verdade, são apenas diferenças conceituais, podendo um Mestre ser Dominador, e vice-versa, o que já não acontece com Escravas e Submissas.

É extremamente comum vermos por aí Dominadores impondo a Submissas que os chamem de Mestres, mas vamos com calma, será mesmo que este Dominador tem algo a ensinar, ou melhor, será que a Submissa tem o desejo de aprender algo sobre a arte de Dominar?

É isso mesmo, Mestre é aquele que passa seus conhecimentos em algum tipo de ofício, no caso conhecimentos de dominação. Ou seja, não faz muito sentido uma Submissa chamar seu Dono de Mestre.

Dominar, Adestrar, Punir são recursos utilizados para o domínio de uma Submissa ou Escrava, ou seja, tudo aquilo que um Dominador faz para cuidar daquilo que é seu, e moldar ao seu jeito. Já o fato de passar os conhecimentos usados na Arte de Dominar, cabem a um Mestre, que está ensinando um outro Dominador, mais jovem, ou qualquer coisa do tipo.

Eu já tive uma Submissa Switcher que gostava de aprender comigo sobre a Arte de Dominar, mas casos como estes são raros, dificilmente Submissas tem este tipo de interesse, portanto, nem todo Dominador é Mestre, mas todo Mestre é Dominador

Extraído do Orkut da amiga JUSTINE, tendo sua autorização.
Obrigada Amiga!

Um comentário:

Luna_Gabo*Bad Wolf* disse...

Que bom esse texto. Aprendi muito aqui hoje.

Beijo,Domme!


{Luna}_Gabo BADWOLF